terça-feira, 26 de abril de 2016

Himantoglossum robertianum (Loisel.) P. Delforge (Orchidaceae)

Voltando aos posts, e para continuarmos a assinalar a Primavera, aqui fica uma bela orquídea com vários nomes, que se dá bem nos calcários (a foto é do castelo de Germanelo, Penela, BL, 29TNE4831, 6.III.2016):
Himantoglossum robertianum (Loisel.) P. Delforge (Orchidaceae)
Orchis robertiana Loisel.

sexta-feira, 18 de março de 2016

Rumex bucephalophorus L. (Polygonaceae) e Linaria amethystea (Vent.) Hoffmanns. & Link subsp. amethystea (Plantaginaceae)


Continuando a assinalar o Equinócio que marca a entrada da Primavera, assim como a proveitosa assembleia de peritos botânicos que terá lugar em Lisboa neste fim de semana equinocial, deixamos aqui mais duas beldades: Rumex bucephalophorus L. (Polygonaceae) e Linaria amethystea (Vent.) Hoffmanns. & Link subsp. amethystea - um endemismo da Península Ibérica) (Plantaginaceae), que encontrámos juntas no castelo medieval de Penela (BL), 29TNE5321, que se situa aparentemente sobre uma colina arenítica, em 6.III.2016. 
Agradecemos a generosa companhia e transporte nesta pequena excursão botânica aos queridos amigos M.G. Pereira, J. Marques & M.J. Pereira.

terça-feira, 15 de março de 2016

Muscari neglectum Ten. (Asparagaceae)

Faltam apenas 5 dias para o Equinócio de Primavera! - para comemorar a vinda da nossa prima favorita, aqui fica uma beldade que encontrámos em flor num canteiro do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, 29TNE4950, alt. ca. 75 m, no muro calcário que separa o Quadrado Central da Alameda Central, em 5.III.2016: Muscari neglectum Ten. (Asparagaceae).

segunda-feira, 7 de março de 2016

Crassula muscosa L. e Graptopetalum paraguayense (N.E. Br.) E. Walther (Crassulaceae).

 Em 21 de Fevereiro de 2016 publicámos aqui um post com Laurus nobilis L. (Lauraceae) epífita sobre Melia Azedarach L. (Meliaceae), em Coimbra, 29TNE4951, alt. ca. 70 m.
Fizemos então referência a outras plantas encontradas epífitas nas mesmas árvores (mélias muito antigas): Hedera cf. Helix (Araliaceae), Polypodium cf. cambricum (Polypodiaceae), Sedum album L. e Umbilicus rupestris (Salisb.) Dandy (Crassulaceae).
E ainda, igualmente sobre Melia Azedarach, referimos duas plantas ornamentais exóticas suculentas bem curiosas que já tínhamos encontrado anteriormente escapadas de cultura: Crassula muscosa L. (syn.: Crassula lycopodioides Lam.) e Graptopetalum paraguayense (N.E. Br.) E. Walther (= Cotyledon paraguayensis N.E. Br.) (Crassulaceae).
Aqui ficam elas, fotografadas hoje no mesmo local, 7.III.2016.

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Acacia dealbata Link (Fabaceae = Leguminosae)

 
 
Fotografámos esta bela árvore exótica invasora, de origem australiana, mas perfeitamente naturalizada entre nós, em plena floração, a cerca de 1000 m de altitude, na serra da Lousã (BL), em 28.II.2016: Acacia dealbata Link (Fabaceae = Leguminosae), num dia de muito frio e neve.
Agradecemos aos amigos que nos acompanharam e transportaram nesta excursão hiemal.
Assinalamos o facto de hoje ser um dia especial - o dia 29 de Fevereiro, que só ocorre de quatro em quatro anos, nos anos bissextos. 

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Egeria densa Planchon (Hydrocharitaceae)

Em 12.V.2012 encontrámos e fotografámos esta planta: Egeria densa Planchon (Hydrocharitaceae) no Tanque do Prof. Luiz Carrisso, no Jardim Botânico de Coimbra, 29TNE4950, alt. ca. 70 m. A planta tem potencialidades invasoras e estava em profusa floração e muito desenvolvida, dominando a vegetação e podendo mesmo perturbar os peixes vermelhos que habitam este tanque desde há muitos anos.
Já se encontrou em Lu, naturalizada na bela província do Minho:
P.Alves, J.D.Almeida. (2016). Egeria densa Planch. - mapa de distribuição. Flora-On: Flora de Portugal Interactiva, Sociedade Portuguesa de Botânica. http://www.flora-on.pt/#wEgeria+densa. Consulta realizada em 25/02/2016
http://www.flora-on.pt/#/1Egeria+densa
e “Forma tapetes que impedem a luz e diminuem o oxigénio chegando a eliminar outras plantas e a afectar os animais” Marchante & al. (2014: 170),
    Marchante, H, M. Morais, H. Freitas & E. Marchante.  2014. Guia Prático para a Identificação de Plantas Invasoras de Portugal. Imprensa da Universidade de Coimbra (Coimbra University Press).
Agradecemos ao ilustre botânico belga Filip Verloove pela identificação desta planta.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Jasminum Mesnyi Hance (Oleaceae) e Geitonoplesium cymosum (R. Br.) A. Cunn. ex R. Br. (Xanthorrhoeaceae)

Foto 1: Jasminum Mesnyi Hance (Oleaceae) com Viola odorata L. (Violaceae) e Phoenix canariensis Hort. ex Chabaud (Palmae = Arecaceae), subespontâneas ou escapadas de cultura no Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, em 21.II.2016
 

  
Foto 2: Geitonoplesium cymosum (R. Br.) A. Cunn. ex R. Br. (Xanthorrhoeaceae), subespontânea ou escapada de cultura no Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, em 21.II.2016



Reencontrámos recentemente algumas espécies interessantes subespontâneas ou escapadas de cultura no Jardim Botânico da Universidade de Coimbra (29TNE4950, alt. ca. 75 m acima do nível do mar), em fendas de muros calcáreos, entre as quais: Jasminum Mesnyi Hance (Oleaceae) e Geitonoplesium cymosum (R. Br.) A. Cunn. ex R. Br. (Xanthorrhoeaceae).
Outras plantas subespontâneas no mesmo local, que já haviam sido referidas noutros trabalhos anteriores são: Elodea canadensis Michaux (Hydrocharitaceae), Phoenix canariensis Hort. ex Chabaud (Palmae = Arecaceae), Coriaria nepalensis Wallich (Coriariaceae), Micromeria Juliana (L.) Reichenb. (Lamiaceae), Cymbalaria aequitriloba (Viv.) A. Chevall. e Cymbalaria muralis G. Gaertn., B. Mey. & Scherb. (Plantaginaceae), Verbascum levanticum I.K.Ferguson (Scrophulariaceae) e Viola odorata L. (Violaceae).