sexta-feira, 11 de Abril de 2014

Anthoceros cf. punctatus (Anthocerotaceae) II



Quase exactamente quatro anos passaram desde que aqui postámos esta pequena planta tão extraordinária (quinta-feira, 15 de Abril de 2010).
http://plantas-e-pessoas.blogspot.pt/2010/04/anthoceros-punctatus-anthocerothaceae.html
Ontem voltámos a encontrá-la, pr. do mesmo local (a umas centenas de metros e ca. de 10 m mais acima), à frente do Instituto Botânico de Coimbra, 29TNE4950, alt. c. 90m (10.IV.2014) e no mesmo local
(11.IV.2014).





Anthoceros punctatus L. (Anthocerotaceae, uma família que pertence à ordem Anthocerotales, à classe Anthocerotopsida e à divisão Anthocerotophytha, do reino Plantae) é uma planta curiosíssima que parece dar-se bem em sítios perturbados com vegetação pratense anual ou perene, formando pradinhos com manchas negras muito conspícuas devidas aos esporófitos maduros.

De acordo com bibliografia mais recente (abaixo indicada), esta planta poderá pertencer à classe
Equisetopsida sensu lato, que, para além das Angióspermicas e das Gimnospérmicas, inclui ainda todos os Briófitos e Pteridófitos...
2.      Maarten J. M. Christenhusz, Xian-Chun Zhang & Harald Schneider (2011). "A linear sequence of extant families and genera of lycophytes and ferns". Phytotaxa 19: 7–54.
3.      Maarten J. M. Christenhusz, James L. Reveal, Aljos Farjon, Martin F. Gardner, Robert R. Mill, Mark W. Chase (2011). "A new classification and linear sequence of extant gymnosperms". Phytotaxa 19: 55–70.
4.      James L. Reveal & Mark W. Chase (2011). "APG III: Bibliographical Information and Synonymy of Magnoliidae". Phytotaxa 19: 71–134.

Este grupo tão peculiar de plantas não vasculares (hornworts) pode também ser considerado como uma divisão autónoma: Anthocerotophytha
http://www.ucmp.berkeley.edu/plants/anthocerotophyta.html
 

quarta-feira, 26 de Março de 2014

Ageratina ligustrina (DC.) R. M. King & H. Rob. (Compositae)




Fotografámos hoje um arbusto da família das Compostas (=Asteraceae), que nos parece ser a
Ageratina ligustrina (DC.) R. M. King & H. Rob. ≡ Eupatorium ligustrinum DC. (basionym), do México e Guatemala (http://www.ars-grin.gov/cgi-bin/npgs/html/taxon.pl?317715)

"Ageratina ligustrina (privet-leaved ageratina, privet-leaved snakeroot) syn. Eupatorium ligustrinum, is a species of evergreen flowering shrub in the family Asteraceae. It grows to 4 metres, producing flat heads of daisy-like white composite flower-heads in autumn. It is not fully hardy in temperate regions.[1] In cultivation it has gained the Royal Horticultural Society's Award of Garden Merit.[2]"
(http://en.wikipedia.org/wiki/Ageratina_ligustrina)


É uma planta cultivada num jardim de Coimbra, de floração e frutificação bastante precoce (Março), própria do final do Inverno e do início da Primavera, cujo equinócio estamos a comemorar.
Em 26.III.2014, os aquénios ou cipselas já estão perfeitamente maduros! 


quarta-feira, 12 de Março de 2014

Fumaria muralis Sonder ex W.D.J.Koch (Papaveraceae)


Deixamos hoje aqui, para comemorar o início precoce da Primavera, uma foto da bela Papaverácea
Fumaria muralis Sonder ex W.D.J.Koch, Syn. Fl. Germ. Helv., ed. 2. 1017. 1845 [17-20 Sep 1845] 
(http://www.ipni.org/ipni/idPlantNameSearch.do?id=673038-1),
planta ruderal fotografada no Jardim Botânico de Coimbra, 29TNE4950, alt. c. 90 m, 12.III.2014.


terça-feira, 18 de Fevereiro de 2014

Vinca major L. (Apocynaceae)



Ainda aqui não tínhamos postado esta extraordinária beldade:
Vinca major L. (Apocynaceae), que se encontra presente em vários pontos de Lu: Norte e Centro, sobretudo, como se pode ver na Flora-On:




(P.V.Araújo, J.Lourenço, J.D.Almeida, A.Carapeto, F.Clamote, M.Porto. (2014). Vinca major l. subsp. major  - mapa de distribuição. Flora-On: Flora de Portugal Interactiva, Sociedade Portuguesa de Botânica. http://www.flora-on.pt/#wVinca+major+major. Consulta realizada em 18/02/2014)


Destas 4 fotos (obtidas em diversos locais da zona Centro de Lu, ao longo de 10 anos, entre 12.V.2003 e 15.IV.2013), duas têm flores tetrâmeras e duas têm flores pentâmeras, como é mais habitual nesta espécie, neste género e nesta grande família, predominantemente tropical:
"The family comprises some 1,500 species divided over about 424 genera. The former family Asclepiadaceae is included in Apocynaceae according to the APG III system.[3]"